Bullying no trabalho: consequências e medidas preventivas

cOMPARTILHE:

O bullying no ambiente de trabalho é um problema crescente que afeta a saúde mental e a produtividade dos funcionários.

Definido como um comportamento persistente e repetitivo que visa humilhar, intimidar ou prejudicar um indivíduo, o bullying pode se manifestar de várias formas, incluindo assédio verbal, psicológico, intimidação e sabotagem profissional.

De acordo com pesquisas, cerca de 30% dos trabalhadores experienciam algum tipo de bullying durante suas carreiras, resultando em sérios impactos tanto para as vítimas quanto para as organizações.

A psicóloga Soraya Lopes detalha as diversas facetas do bullying no ambiente de trabalho e sugere estratégias para sua prevenção e combate.

“O bullying não apenas afeta a vítima, mas também toda a organização, reduzindo a produtividade, aumentando o absenteísmo e criando um clima de medo e desconfiança”, explica Soraya.

Os sinais de que um funcionário pode estar sofrendo bullying incluem mudanças de comportamento, redução na produtividade, afastamentos frequentes e sintomas físicos como dores de cabeça e insônia. Soraya destaca que os impactos podem ser profundos, levando a depressão, ansiedade, estresse crônico e até síndrome de burnout.
Para combater o bullying, Soraya sugere a implementação de políticas claras, treinamentos regulares, canais de denúncia e apoio psicológico.

“É essencial que as empresas estabeleçam um ambiente onde os funcionários se sintam seguros para denunciar e buscar ajuda”, diz a psicóloga.

Comente:

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência dos usuários. Ao acessar nosso site você concorda com nossas políticas de privacidade.