Entenda o que é amigdalite e como pode impactar na qualidade de vida

Médica loira com o paciente

cOMPARTILHE:

A amigdalite, condição caracterizada pela inflamação das amígdalas, é uma preocupação de saúde que afeta 2% da população brasileira em atendimentos ambulatoriais, causando desconforto e impactando na qualidade de vida. Embora apresente um quadro mais incisivo durante o inverno, a doença pode aparecer o ano inteiro e prejudicar homens e mulheres igualmente, principalmente com a mudança brusca de temperatura em diversas regiões do país.

A amigdalite refere-se à inflamação das amígdalas, duas massas de tecido localizadas na parte posterior da garganta. Essas estruturas têm um papel crucial no sistema imunológico, mas podem tornar-se inflamadas devido a vírus ou bactérias, resultando em sintomas desconfortáveis. Especialistas indicam que existem dois tipos principais de amigdalite – viral e bacteriana. A viral é mais comum e geralmente desaparece por conta própria, enquanto a amigdalite bacteriana, muitas vezes causada por estreptococos, pode requerer tratamento com antibióticos. No entanto, as causas mais comuns se relacionam a infecções virais – que são consideradas autolimitadas. Isso significa que o quadro pode se resolver em pouco tempo sem maiores desdobramentos negativos aos pacientes.

O tratamento para amigdalite varia com base na causa. Enquanto a amigdalite viral pode ser aliviada com repouso e medicamentos para alívio dos sintomas, a amigdalite bacteriana muitas vezes exige a administração de antibióticos. Quando a causa é bacteriana, geralmente ela decorre de uma infecção por estreptococos do grupo A. Outros agentes bacterianos podem ser o Mycoplasma pneumoniae, staphylococcus aureus e Haemophilus SP. Manter uma boa higiene pessoal e evitar o contato próximo com pessoas infectadas são medidas preventivas importantes.

Vale ressaltar que, quando não tratada adequadamente, pode resultar em complicações como infecções recorrentes, abscessos ou problemas respiratórios, além de comprometer parte da gengiva e gerar infecção geral. Os sintomas podem incluir dor de garganta, inchaço das amígdalas, dificuldade para engolir, febre, dores no corpo, gânglio inchados e dor de cabeça – sendo necessário uma consulta médica para a confirmação. Portanto, buscar atendimento ao detectar sintomas persistentes é fundamental para evitar complicações a longo prazo.

Comente:

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência dos usuários. Ao acessar nosso site você concorda com nossas políticas de privacidade.