Burnout em médicos: dois a cada três profissionais têm a doença, afirma pesquisa

Mão de um enfermeiro com jaleco

cOMPARTILHE:

Cerca de 62% dos médicos brasileiros têm ou tiveram sintomas de síndrome de burnout (o esgotamento profissional) ou receberam o diagnóstico do distúrbio, é o que afirma a pesquisa “Saúde Mental do Médico”, realizada pelo Research Center da Afya. Os dados ainda evidenciam que outros 47% têm ou já tiveram diagnóstico de transtorno de ansiedade e 46% de depressão.

Conforme a pesquisa, os principais fatores atribuídos pelos médicos aos sintomas de burnout são o excesso de horas no trabalho, salário insuficiente, falta de realização profissional e volume intenso de tarefas burocráticas, principalmente em relação ao período vivido durante a pandemia de covid-19. Além disso, 63% dos profissionais afirmaram não tratar a síndrome de burnout pelo excesso de demandas e falta de tempo, enquanto cerca de metade (52,1%) alegaram a falta de motivação. O estudo ainda mostra que o preconceito e vergonha pode prejudicar o processo de cura: 20% alegaram o medo do impacto profissional. A pesquisa mostra que a ansiedade é o transtorno mais comum entre a classe médica do país: só 20,4% disseram que nunca apresentaram sintomas.

Segundo o Ministério Da Saúde, Síndrome de Burnout é um distúrbio emocional com sintomas de exaustão extrema, estresse e esgotamento físico resultante de situações de trabalho desgastante, que demandam muita competitividade ou responsabilidade. A principal causa da doença é justamente o excesso de trabalho, uma vez que as demandas são insistentes. Esta síndrome é comum em profissionais que atuam diariamente sob pressão e com responsabilidades constantes, como profissionais da saúde, professores, jornalistas e policiais.

Diversos sintomas podem indicar a síndrome de burnout, não necessariamente sentindo todos para ser diagnosticado. Na maioria das pessoas, os sintomas aparecem de forma leve e vão piorando com o passar do tempo. Os portadores da Síndrome de Burnout costumam pensar que estão apenas cansados e que se trata de um mal-estar passageiro. No entanto, questões como exaustão extrema, insônia, dor de cabeça, desânimo, sentimento de fracasso e problemas no sistema gastrointestinal costumam insistir.

Comente:

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência dos usuários. Ao acessar nosso site você concorda com nossas políticas de privacidade.