Superaquecimento: entenda a condição que fez uma jovem morrer durante show

Temperatura excessiva

cOMPARTILHE:

A morte improvável de uma mulher de 23 anos no show da cantora Taylor Swift no Brasil chama atenção pelo modo espantoso como se deu. A princípio, especialistas indicam que a causa do óbito foi por superaquecimento, condição que ocorre com o calor extremo e a falta de hidratação.

Existem 27 maneiras diferentes pelas quais o corpo humano sucumbe ao superaquecimento, que vão desde insuficiência renal até envenenamento do sangue quando o revestimento do intestino se desintegra. Todas podem resultar em morte em poucas horas. Estudos apontam que a temperatura corpórea considerada normal varia entre 36º C e 37,2º C. Quando a temperatura do ambiente é igual ou superior à interna, a única forma de evitar o superaquecimento do organismo é pelo suor. Os capilares, minúsculos vasos sanguíneos próximos à pele, se expandem na tentativa de eliminar o calor. Mas quando a umidade do ar é alta, a transpiração acaba se tornando menos eficaz porque o ar já está saturado de “água”. Como resultado, o corpo não esfria e a temperatura aumenta, desencadeando uma série de protocolos de emergência para proteger as funções vitais.

Por outro lado, o suor excessivo pode levar à desidratação. Quando o corpo superaquece e fica desidratado, o sangue engrossa. Isso faz com que o coração precise usar mais força para bombear o sangue pelo corpo. Ele e outros órgãos podem ser seriamente danificados. Para cada aumento de 0,5°C na temperatura do corpo, a frequência cardíaca de uma pessoa normal aumenta 10 batimentos por minuto, segundo informações da revista Time, resultando em pulso acelerado e sensação de tontura.

Se a condição não for tratada com sombra, repouso e reposição de eletrólitos, pode haver insolação. Os órgãos começam a “desligar”. O coração, sobrecarregado, pode entrar em parada cardíaca, e foi justamente o que aconteceu. Especialistas calculam, em média, que um jovem perfeitamente saudável morrerá dentro de seis horas após a exposição a uma temperatura IBUTG de 35º C. Essa temperatura equivale a 35º C de calor seco e 100% de umidade, ou 46º C com 50% de umidade. Nesse ponto crítico, o suor, a principal ferramenta do corpo para baixar a temperatura central, não consegue evaporar da pele, o que eventualmente leva à insolação, ao colapso dos órgãos internos e à morte.

Comente:

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência dos usuários. Ao acessar nosso site você concorda com nossas políticas de privacidade.