Mais de 38 milhões de pessoas sofrem com estresse térmico, conheça o problema

Pessoa bebendo água

cOMPARTILHE:

Um novo estudo divulgado na última semana pela Aplicações de Satélites Ambientais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Lasa/UFRJ), evidencia que o número de brasileiros expostos ao estresse térmico ultrapassa 38 milhões. Conhecido como um aumento excessivo de temperatura, o fator complica a vida do ser humano e pode causar problemas de saúde graves, principalmente para crianças e quem já possui comorbidades.

O problema é impulsionado por condições climáticas que fazem com que a temperatura corporal aumente e não consiga manter-se no nível ideal, que é em torno de 36,5°C – impulsionando uma condição de vida saudável. Só em Salvador, recorde de calor já foi alcançado em 2023 – com sensação térmica de mais de 40°C neste ano. Segundo o Instituto de Meteorologia (Inmet), a previsão é que o verão de 2024 seja um dos mais quentes da história. O fenômeno pode causar problemas simples, como dor de cabeça ou cansaço – até questões de saúde mais graves, precisando de internamento: só nesta semana, duas pessoas passaram mal em Bauru (SP) e precisaram ser encaminhadas ao hospital.

O fenômeno também pode gerar uma insolação, que é outra condição séria quando o corpo é exposto de forma prolonga aos raios de sol, sem a proteção solar e hidratação adequadas, resultando em queimaduras de primeiro grau. No que confere a internação, geralmente acontece quando existe a permanência da pessoa em um ambiente fechado e com temperatura elevada durante longo período, sem ventilação suficiente para dissipar o calor, como em ônibus lotados. As duas situações merecem atenção porque o aumento promove a perca de água no corpo, bem como nutrientes e sais necessários para que o organismo funcione normalmente, assim pode ser causado uma desidratação e mal-estar.

Para evitar esses e outros problemas, especialistas confirmam a necessidade em manter a hidratação constante e ter amor com o próprio corpo. Atitudes como usar protetor solar, chapéu, roupas leves e de cores claras para refletir o calor, locais mais frescos e evitar sair durante os picos de calor são importantes no cotidiano, principalmente quando a previsão é de que o estresse térmico seja maior na próxima estação do ano.

Comente:

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência dos usuários. Ao acessar nosso site você concorda com nossas políticas de privacidade.