Anvisa proíbe mais de mil pomadas capilares

cOMPARTILHE:

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) cancelou mais de 1,2 mil pomadas para modelar ou fixar cabelos. A medida faz parte de uma série de ações adotadas pela agência desde o início do ano após a denúncia de casos de cegueira e irritação nos olhos com o uso do produto.
Com as festas de fim de ano, voltou a aumentar o número de casos de queimadura nos olhos por uso de pomadas.

Na quinta-feira (27), ao menos 100 pessoas foram socorridas a hospitais do Rio de Janeiro com queimadura nos olhos causadas por pomadas. A Secretaria de Saúde informou que notificou o órgão regulador sobre os casos.

A medida publicada nesta sexta tem efeito imediato e, com isso, as 1.266 pomadas estão com a venda proibida. De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, as fórmulas dos produtos têm dois compostos químicos que são conservantes tóxicos à pele e mucosas: o metilcloroisotiazolinona (MCI) e o metilsotiazolinona (MI).

As substâncias podem causar alergias e queimaduras nos olhos e na pele, além de toxicidade pulmonar e neurotoxicidade. Nos olhos, podem provocar inflamações das pálpebras, conjuntivites, úlceras de córnea e até o comprometimento grave da visão.

Em dois dias, mais de 100 pessoas foram atendidas na emergência do Hospital Souza Aguiar, no Centro do Rio, com queimaduras nas córneas causadas pelo uso de pomada modeladora de cabelos.
Os pacientes contaram que, durante o banho, o produto escorreu do cabelo para os olhos, provocando ardência e queimadura.

Comente:

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência dos usuários. Ao acessar nosso site você concorda com nossas políticas de privacidade.