Treinamento em parada cardiorrespiratória da Emergência Pediátrica do HGRS completa um ano

Profissionais simulando atendimento

cOMPARTILHE:

Em um ano, mais de cem profissionais de diversas áreas participaram do treinamento de parada cardiorrespiratória da emergência pediátrica do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS).

Implantado em novembro de 2022 pelo pediatra Flávio Valcácer, coordenador da emergência, o projeto surgiu com a necessidade da “nossa equipe multiprofissional ter mais prática, mais habilidade nas situações de urgência e emergência para prestar o atendimento aos pacientes que chegam aqui”. Ele acrescenta que a parada cardiorrespiratória é uma das situações mais graves que ocorre com as crianças, mas felizmente, não é constante, por isso mesmo, a equipe tem que estar sempre preparada, fator que motivou a implantação do projeto na unidade para “esta capacitação constante”.

A simulação inclui, além dos profissionais, todo o material necessário a um atendimento “real”, a começar com uma sala apropriada, equipada com maca, carrinho de parada com desfibrilador, simulador de monitor cardíaco, oxímetro de pulso, manguito de pressão arterial; insumos como seringas, equipos, jelcos, agulha intra-óssea, soluções cristalóides, dentre outros.

A médica residente em pediatria, Alice Fernandes, que conduziu a equipe no momento do treinamento, destacou a importância para a formação profissional de todos que participam, além de ser perceptível a evolução da equipe nos procedimentos realizados durante a simulação, notando a diferença a cada capacitação que ocorre, com o grupo coeso, com menos erros e mais rapidez nas intervenções, o que faz toda a diferença para a recuperação do paciente.

Emergência Pediátrica do HGRS – É uma emergência terciária, com atendimento especializado em pacientes graves e com necessidade de especialistas. Para prestar assistência a mais de 500 crianças por mês, a unidade conta com uma equipe multiprofissional composta por médicos pediatras, e intensivistas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeuta, assistente social e psicólogos. A estrutura física conta com 25 leitos, distribuídos entre as salas amarela (15), laranja(4), vermelha (3) e de observação (3); recepção; consultórios (2); banheiros; salas de coordenação, acolhimento, prescrição médica, dentre outros ambientes.

Já o perfil dos pacientes atendidos na emergência é de crianças com idade inferior a 15 anos, com quadro infeccioso grave, emergências neurológicas, cirúrgicas, neurocirúrgicos, hematológicas e necessidade de endoscopia digestiva, que chegam por demanda espontânea, oriundos dos ambulatórios do HGRS, da enfermaria pediátrica, da Central Estadual de Regulação e do Samu.

Foto: Reprodução/Internet

Comente:

Deixe um comentário

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência dos usuários. Ao acessar nosso site você concorda com nossas políticas de privacidade.